Safe City: Bem-vindo às cidades monitoradas e inteligentes

O projeto de Safe City consiste em unir instalações de câmeras em pontos estratégicos, como entradas e saídas das cidades, com a inteligência artificial que monitora, alerta e reporta ao usuário os perigos de viver em uma cidade.

Essas câmeras são instaladas por meio de uma plataforma de monitoramento em nuvem, que é gerenciada através de aplicativo, instalado em celular ou tablet, no qual, é possível assistir ao vivo ou a qualquer momento as imagens gravadas.

Para esclarecer qualquer dúvida futura, o projeto Safe City não tem o intuito de fornecer o monitoramento e acompanhamento de câmeras para a Polícia Militar, o projeto visa maximizar as ações, melhorar o tempo de resposta trabalho das ações da P.M., aumentar a probabilidade de prisões de infratores da lei.

A ideia central é contribuir, controlar e reduzir os indicadores criminais, consequentemente, aumentar a sensação de segurança na cidade.

O objetivo é disponibilizar ferramentas para que o órgão de segurança pública utilize essas imagens no combate ao crime, pois permite analisar e investigar a origem ou até mesmo o destino de veículos: tanto de criminosos, como veículos roubados.

O projeto também possibilita que todos os moradores da cidade, instale câmeras em sua residência, e hospede essas câmeras na plataforma. Com isso, o morador poderá ceder as imagens aos órgãos de segurança do município através de convênios, associações ou contrato com a própria prefeitura, já que existe um amplo interesse por este tipo de serviço.

O monitoramento colaborativo através da população permite que residências e estabelecimentos comerciais integrem essas câmeras, que antes eram privadas, a uma plataforma com teor e objetivo público. Com o armazenamento das imagens em nuvem, o compartilhamento com os órgãos públicos e de segurança é extremamente ágil.

O projeto terá as seguintes etapas:

  1. Primeiro se inicia com a instalação de câmeras nas saídas e entradas da cidade;
  2. Depois a população passa a hospedar câmeras na plataforma da prefeitura;
  3. E por fim o município passa a ter seu território monitorado.

O resultado esperado é o aumento da segurança pública e a redução de criminalidade.

No antigo modelo de monitoramento priorizava-se a instalação de equipamentos de baixa qualidade para baratear o custo para os editais; o compartilhamento era limitado, não era possível criar usuários para a população, o custo total era muito alto, o tempo de instalação era muito demorado, a gravação era somente em DVR, alto custo com manutenções e a escalabilidade para a empresa era praticamente zero, por ser limitado apenas à prefeitura.

Já nesse novo modelo, o monitoramento em nuvem para órgãos públicos proporciona baixo custo, implantação mais ágil e eficiente, devido ao sistema ser em nuvem, facilidade no compartilhamento entre usuários, equipamentos de alta qualidade com tecnologia de ponta, custo de manutenção muito baixo e o principal, a possibilidade de adição de câmeras na plataforma, que permite convidar a população hospedar suas câmeras na plataforma ao conceder suas imagens à prefeitura. Este é um convite e oportunidade para os cidadãos colaborarem ativamente com a segurança de seu município.

Além disso, neste novo modelo é possível ter acesso às câmeras pelo aplicativo instalado no celular, tanto para a população quanto para os policiais.

O aplicativo é acessível ao uso e de fácil de analisar as imagens. Há chat para conversas entre os usuários, que facilita a comunicação caso algo suspeito aconteça. Também há o botão de pânico, que ao ser acionado, envia notificação para todos os usuários da plataforma, gerando uma rede de segurança.

Para finalizar, é importante ressaltar que o aplicativo é armazenado 100% em nuvem, extremamente seguro com zero risco de perda das imagens.

Comente Aqui!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *