As 4 maiores dificuldades para Empreender no Brasil e como driblá-las

Não é de hoje que sabemos como é difícil empreender no Brasil. A alta carga tributária, a burocracia morosa e a dificuldade em conseguir o crédito necessário para começar desmotiva grande parte dos empreendedores que desejam dar vida aos seus negócios.

Porém, há formas de passar por cada uma dessas etapas e começar a empreender com toda força. Veja como:

Por que empreender?

Em situações críticas da economia, como essa que estamos atravessando, empreender tornou-se a saída para muitos profissionais que se viram fora do mercado de trabalho e precisavam se reposicionar no setor.

Aqueles que se dispõe a empreender nas mais variadas áreas abrem espaço no mercado para diferentes produtos e novas formas de comércios, o que enriquece a economia e deveria ser fomentado pelo governo. Entretanto, essa não é a nossa realidade.

Os incentivos ao empreendedor no Brasil são quase nulos e não favorecem todos aqueles que desejam empreender. A carga tributária absurda é um dos fatores que impede muitos brasileiros de abrirem seus negócios.

Segunda uma pesquisa realizada pela Endeavor em parceria com o Sebrae no ano de 2014, a principal reclamação de quem queria empreender ou que já estava empreendendo no país eram as altas taxas de tributos que acabavam inviabilizando o negócio, ou deixando-o pouco rentável.

De 2014 para cá quase nada mudou, ou melhor, piorou. Mas o volume de impostos não é o único empecilho de quem deseja empreender nos dias de hoje.

Linha de crédito, mão de obra especializada e concorrência

Quem está começando a empreender geralmente não possui um caixa alto, capaz de cobrir todos os custos do início de um negócio. Para isso, empreendedores recorrem às linhas de crédito, empréstimos e outras possibilidades oferecidas pelos bancos, mas que raramente são dadas aos iniciantes do mercado.

Com juros altíssimos, os empréstimos bancários para iniciar um negócio acabam sendo mais assustadores do que os impostos cobrados pelo governo quando colocados na ponta do lápis.

Mesmo assim, os bancos dificultam a liberação de valores para quem está começando através de exigências altamente burocráticas, o que acaba minando o projeto. Além disso, quem deseja empreender esbarra também na falta de mão de obra qualificada e na concorrência com outras empresas.

A questão da mão de obra, assim como os impostos, é um ponto antigo no país. O déficit no sistema educacional afeta o desenvolvimento da economia, que acaba não se abrindo para diferentes mercados por não um possuir know-how básico sobre.

Com isso, empresas grandes, de maior influência e poder aquisitivo, investem na capacitação interna de seus funcionários e na melhoria de seus serviços e soluções, colocando os pequenos empreendedores para fora do jogo.

Mas agora o jogo virou…

É complicado pagar os impostos, lidar com os empecilhos dos bancos, capacitar funcionários e se destacar frente à concorrência? É. Mas para todo o problema existe uma solução.

. Impostos: Não há como fugir deles e é necessário ser cauteloso na hora de compreende-los. Antes de empreender efetivamente, procure um contador ou consultor de confiança e peça ajuda para entender como funciona a tributação de impostos e as alíquotas que incidirão na área em que você irá atuar. Dessa forma, você não será pego de surpresa por cobranças não planejadas e nem sofrerá penalidades por falta de regularização do negócio.

. Linha de crédito:  Se você precisa de capital para começar o empreendimento busque por bancos que possuam programas de incentivo ao empreendedor, com linhas de crédito à juros mais baixos e facilidades de negociação, caso precise.

Se mesmo assim o banco dificultar o empréstimo, peça ajuda a órgãos de apoio ao empreendedor. Eles podem ajudar no diálogo com financiadoras e agilizar os processos para a liberação do crédito.

O Banco do Povo é uma ótima opção para obter linhas de crédito à juros mais baixos e com maior facilidade. A taxa de juros é de 0,35% ao mês já pré-fixado para todas as linhas de crédito, e não há cobrança de taxa de abertura de crédito, cadastro ou elaboração de contrato.

.Mão de obra: Invista, mesmo que pouco, na capacitação dos colaboradores. É essencial para que o empreendimento dê certo que todos os envolvidos no negócio saibam como ele funciona, quais são suas diretrizes, produtos e soluções oferecidas e como eles funcionam.

A Fulltime oferece ao seus clientes o FullTraining, um treinamento semanal sobre nossas soluções, com o intuito de sanar todas as dúvidas e auxiliar nas vendas.

Leia mais sobre a importância da capacitação aqui.

. Concorrência: Garanto à você que esse não é um problema. Concorrência só existe quando o seu negócio não tem como foco a satisfação do cliente. Não há empresas grandes nem preços competitivos que substituam um cliente satisfeito com o atendimento e o produto.

Leia mais sobre como enfrentar a concorrência aqui.

A melhor hora para empreender é agora. Siga essas dicas, procure parceiros interessados no seu empreendimento vá em frente. E no que depender das soluções Fulltime para agregar valor ao seu negócio, pode contar com a gente.

Comente Aqui!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *